Comissão Especial Eleitoral anula prova para Conselheiro Tutelar

0
357

Presidida por Lucineide Santana, a Comissão Especial Eleitoral decidiu por anular as provas objetivas e discursivas do concurso público para conselheiro tutelar de Parauapebas e publicou no site do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Parauapebas (Comdcap), dando ciência aos inscritos.
Para decidir pela anulação do resultado das provas, aplicada no dia 03 de agosto, a Comissão levou em consideração problemas referentes ao instituto de ensino que elaborou, aplicou e corrigiu as provas, Aprov Vestibulares. Dentre alguns foram citados, erro ortográfico, perguntas mal formuladas e falta de transparência na abertura do lacre das provas que não teve ata para comprovar que foi apresentado para os coordenadores do processo eleitoral antes de ser aberto.
APROV Vestibulares é pioneiro na cidade, inclusive com muitos candidatos aprovados em diversos vestibulares e em uma carta enviada ao site www.pebinhadeacucar.com.br, Arilson Paixão, diretor do instituto, diz: “Gostaria de parabenizar os candidatos aprovados neste processo e aos que não obtiveram nota suficiente, continuem estudando pois todos tem potencial, só têm que rever onde foram os pontos falhos e procurar saná-los.
Quanto a nota divulgada pelo COMDCAP em seu site, na qual tive conhecimento através de terceiros e em nenhum momento fui contactado da decisão de anulamento da prova, eles foram extremamente infelizes nas declarações, ao afirmar que houve desorganização na aplicação das provas e descuido na transparência, fato que me causou estranheza, uma vez que o Sr. Aldo e a Sra. Lucineide estiveram presentes o tempo todo da aplicação da prova, desde o início (quando mostrei aos candidatos e também aos conselheiros, o pacote de provas lacradas).
Durante todo o processo, esses cidadãos que representam um órgão público de suma importância, analisaram as provas e foram unânimes quanto a excelência das questões e teceram vários comentários positivos quanto a impressão dos cadernos de provas, que nunca haviam visto provas de cores diferentes (que fiz questão de ser assim, pois teríamos menos riscos de atos fraudulentos como trocas de provas, “colas”…)
Antes da divulgação dos aprovados, reunimos (APROV e COMDCAP), para corrigirmos qualquer falhas e fui solicitado para que anulasse duas questões do ECA (Específica) e queriam que eu anulasse uma outra questão por intermédio de seu advogado, mas provei a eles que não tinha fundamento o que seu advogado argumentava.
Houve falha de impressão na prova de informática e de digitação na específica (objetiva), outras empresas prestadoras de serviços também possuem falhas.
Não sei o que motivou a comissão para serem tão incisivos em querer difamar o nome de minha empresa APROV, forma no mínimo imprudente e eles sim demonstraram muito amadorismo nas suas declarações, inclusive numa emissora de rádio local.
Procurarei minhas vias legais para que minha empresa seja reparada dessas desastrosas colocações, colocando em xeque meu profissionalismo.
O Centro de Educacional de Ensino Médio APROV, possui grandes profissionais desde a secretaria aos grandes professores”, relatou Arilson Paixão.
O presidente do Comdcap, Aldo Serra, ressaltou que a data da nova prova ainda não foi definida, mas que a data das eleições continua para o dia 4 de outubro, o que deixa mais curto o tempo de campanha. Porém, Aldo afirma que a transparência no processo é de fundamental importância.

(Texto e Fotos: Luís Bezerra)

Deixe uma resposta