Enfermeira é encontrada morta em sua casa na cidade de Parauapebas

0
267

Mais de um milhão de pessoas cometem suicídio a cada ano, tornando esta uma das principais causas de morte entre adolescentes e adultos com menos de 35 anos de idade.Entretanto há uma estimativa de 10 a 20 milhões de tentativas de suicídios não-fatais a cada ano em todo o mundo.

Com a chegada de vários fatores como a crise duradoura que estamos vivenciado em nosso País, programas de TVs, aplicativos e jogos como a então conhecida brincadeira da “baleia azul”, fatores estes que tem influenciado algumas pessoas de várias faixas etárias, promovendo assim o aumento na tacha de suicídio no Brasil.

Dessa vez a vítima foi a servidora pública e enfermeira Natália Francis de Oliveira Martins, uma mulher bonita que para alguns colegas de profissão, não demonstrava nenhum vestígio de depressão ou quaisquer outros problemas.

Com 30 anos de idade Natália era natural de Belém do Pará, e estava atualmente trabalhando na Secretária Municipal de Saúde de Parauapebas. A moça foi encontrada morta em sua própria residência localizada na rua Macanaiba no Bairro Martins em Parauapebas.

De acordo com as primeiras informações, o corpo da vítima foi encontrado neste último sábado (28) na cama de sua residência pela sua funcionária que ia de encontro a casa de Natália todas as noites para dormir com a mesma, pois ela não gostava de ficar sozinha na casa.

A funcionaria relatou para a polícia que na noite anterior havia dormido com Natália e que pela manhã tinha saído como os dias rotineiros e normais de costumes, mas ao chegar a noite e novamente a funcionaria ir de encontro a sua patroa na noite de sábado, encontrou Natália já sem vida deitada em sua cama, momento em que ligou para a polícia com urgência.

A polícia deu início na apuração dos fatos para descobrir o que realmente aconteceu, mas tudo indica que a moça teria tirado sua própria vida pois ao lado do corpo foram encontradas várias seringas e até mesmo uma lousa onde ela teria tentado anotar a conta e agencia de uma conta de banco, porém sem sucesso.

O corpo da vítima foi removido e encaminhado para exame de necropsia no Instituto Médico Legal Renato Chaves de Parauapebas. O delegado plantonista, Dufrae Abade requereu ao IML exame toxicológico no sangue de Natália para descobrir o que ela teria injetado causando sua morte.

Ainda de acordo com algumas informações a moça de 30 anos vinha sofrendo de depressão nos últimos meses, porém poucas pessoas próximas a ela tinham conhecimento desse assunto.

Rodrigo Melo/Correio do Pará

Deixe uma resposta