Hamilton Ribeiro é preso novamente

0
848
Hamilton Ribeiro

Foi deflagrada nesta quinta, dia 17 de janeiro quatro operações simultâneas em diferentes regiões do interior do Estado, a ação ocorreu sob orientação do Delegado Geral Aberto Teixeira com objetivo de combater crimes cometidos por grupos de milícias, tráfico de drogas e “pirataria” nos rios. Em uma delas, a “Longa Manus”, foi preso o conhecido fazendeiro Hamilton Silva Ribeiro de Parauapebas.

Essa é a segunda prisão de Hamilton Ribeiro, em 2016 envolvido em um rumoroso escândalo de corrupção do qual participavam diversos vereadores de Parauapebas o fazendeiro foi levado a prisão. Operação “Longa Manus”, deflagrada na região do Carajás, no sudeste do Pará, com sede em Marabá, é coordenada pela Superintendência Regional do Sudeste Paraense.

A finalidade da operação na região é dar cumprimento à mandados de prisão preventiva e seis de busca e apreensão resultantes de investigações e de solicitações feitas pela Polícia Civil. Entre os mandados de prisão preventiva, estão José Iran dos Santos Lucena; Mateus da Silva Lucena e Hamilton Silva Ribeiro (na foto ao lado), apontados como líderes e financiadores de grupos de milícia armada que agem no Sudeste do Pará. Os três já foram presos.”

Para o cumprimento do mandado, a Polícia afirma destaca que um dos alvos, recentemente adquiriu duas Ford Rangeres blindadas que são ocupadas por milicianos que fazem a segurança do alvo. Já o segundo alvo foi preso há pouco tempo portando arsenal bélico, incluindo dinamites, explosivos e munições de fuzil, cal. 7,62.

Ainda para os agentes de segurança deve ser levar em conta a periculosidade dos representados e, portanto, há necessidade do Apoio do Grupamento Especializado (GPE) para a realização da Operação.

Os mandados de busca e apreensão são cumpridos em Marabá, Parauapebas e Itupiranga, com objetivo de apreender armas, munições, explosivos e dispositivos móveis que possam colaborar nas investigações.

Operações em Quatro Regiões

São 150 policiais civis participando das operações que começaram 6 horas da manhã nos municípios das regiões de Marabá (Carajás); Abaetetuba (Baixo Tocantins); Soure (Marajó Oriental) e Breves (Marajó Ocidental). Como resultado já foram cumpridos 23 mandados de prisão preventiva, três deles em Marabá.

A Polícia Civil não confirma, mas é possível que uma coletiva de imprensa seja realizada hoje ainda, em Marabá, para que o Delegado Superintendente do Sudeste, Thiago Carneiro, avalie a operação.

Com informação do CONTRA PONTO

Deixe um comentário