O nosso jornal

Polícia de Manaus tem imagens do momento do assassinato do advogado Jakson Silva

SHARE
, / 2418 0

O titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Ivo Martins, afirmou que a polícia deve usar imagens do circuito de vigilância de uma casa para tentar identificar os suspeitos de assassinar o advogado Jakson Silva. A polícia também já tem imagens do taxi que conduziu o advogado do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes situado na Zona Oeste de Manaus, até próximo à casa de uma amiga, aonde ele teria desembarcado para comprar comida.

Segundo o delegado, Jakson Silva teria ido a Manaus para o aniversário de uma amiga e ele deveria voltar na quarta-feira (28). “Ele desembarcou em Manaus por volta de 22h30, pegou um táxi e foi para a casa da amiga. Parou em um local antes para comprar comida e antes de entrar na residência foi atingido. A gente tem uma imagem de uma casa do lado, em que duas pessoas chegam ao local de moto por volta do horário descrito na denúncia (23h30). Em contrapartida, a gente tem um depoimento que coloca a motocicleta em outro local. Estamos confrontando as informações para ver qual das duas motos pode ser realmente aquela que participou do crime“, informou Ivo Martins.

O delegado informou ainda que a amiga do advogado e outas pessoas serão ouvidas ao longo desta semana. A Comissão de Defesa das Prerrogativas do Amazonas se habilitou para acompanhar o caso. A decisão foi tomada pelo presidente da seccional do Amazonas, Alberto Simonetti, que está acompanhando desde o início, o inquérito policial sobre o assassinato do presidente da subseção da Parauapebas. Por conta de todo o apoio recebido pela OAB do Pará, do presidente da seccional do Amazonas, Jarbas Vasconcelos fez um agradecimento especial ao colega. “Minha inteira gratidão ao presidente Alberto Simonetti, que desde a madrugada de domingo, pessoalmente, mobilizou toda polícia do Amazonas e demais autoridades, inclusive o Governador, para elucidar o homicídio (com todas as características de execução) do Presidente da Subseção de Parauapebas, Jakson Silva, incluído na lista de advogados marcados pra morrer. O prestígio e o respeito do colega Simonetti e da gestão que faz à frente da Seccional, nos dão a certeza de que a polícia do Amazonas elucidará este crime que abala a advocacia paraense. O Presidente Simonetti, pessoalmente, acompanhará as investigações.

As subseções paraenses da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) fizeram, na tarde desta segunda-feira (26), atos contra a violência e impunidade. Em Tucuruí, sudeste do estado, muitos advogados participaram do ato público em frente à sede da OAB da cidade, localizado na Avenida 7 de Setembro. Para o presidente da OAB de Tucuruí Marcello Barreto, “esta situação vem preocupando a classe, que vem tendo perdas imensas de operadores do direito. Inclusive, a nossa região é a que mais vem sofrendo com estes atentados e mortes. Esperamos que com este nosso grito de socorro unificado em todo o Pará, os nossos governantes olhem com maior atenção a falta de segurança que assola a região e o estado”.

Muitos advogados estiveram presentes na sede da OAB para levar apoio a esta luta. Uma faixa preta demostrando que a classe esta de luto foi colocada na entrada da sede. A Seccional Pará – Subseção de Santarém considera extremamente grave e preocupante a situação de insegurança pública em que se encontra a sociedade paraense, pois segundo eles acontece a “multiplicação dos crimes contra as pessoas, sem que o Estado tome providência para o deslinde dos casos e punição dos culpados.” Diz também que apesar das denúncias de ameaças de morte e pedidos de proteção ao Governo do Estado do Pará, através da Secretaria de Segurança Pública, o advogado JAKSON DE SOUZA E SILVA, presidente da Subseção da OAB de Parauapebas, teve sua vida ceifada, e, ao que tudo indica, por pistoleiros e diz também que as autoridades comportam-se como se nada estivesse acontecendo, permanecendo inertes sem ver a “insidiosa” omissão dos órgãos que deveriam velar pela segurança pública. O momento é de luto e reflexão sobre o que aconteceu e serão feitas homenagens devidas ao amigo que sempre dignificou as lutas da OAB.

Leave A Reply

Your email address will not be published.