Poucas e boas – edição 1297

0
329

“É mais um semestre que se inicia. E este está pior que os outros. Se formos falar de educação, que já foi o nosso orgulho, está um caos. A saúde é vergonhosa. É um governo de mentiras, de enganação, de falcatruas. Todo mundo já ouviu nas rádios que foram inauguradas mais de 100 obras. Cadê essas obras? Estão reinaugurando obras que já foram inauguradas. O posto (de saúde) do Rio Verde, por exemplo, está fechado. As obras da Faruk Salmen estão paradas e a Vale já deixou claro que falta a conclusão da parte da prefeitura no contrato. (Eliene Soares – Vereadora)
————————————————————
“Ao vermos representantes dos poderes nesta Casa, fica claro que as instituições estão se aproximando. Por falar em crise, tenho a dizer que a Vale se vale da crise. Temos que nos unir e formar uma nova matriz econômica. Não adianta só apontar o dedo. Gostaria de chamar toda sociedade, principalmente aquela que critica, para que possamos nos unir e mudar essa situação. Como líder do governo, quero aumentar a aproximação entre as instituições para que possamos encontrar a melhor forma de resolver os problemas de nossa sociedade”. (Zacarias – Vereador)
————————————————————
“Tivemos muitos problemas no primeiro semestre, mas temos muita esperança. Vamos trabalhar dentro da legalidade para que as ações tomem o rumo certo. Criticar é muito fácil, mas auxiliar com alternativas é difícil. Não podemos ficar distantes. Os poderes têm que se unir, com maturidade e postura, para realizarmos um trabalho em prol da sociedade. Gostaríamos de reunir os 15 vereadores e o prefeito para que possamos levar as demandas da comunidade ao Executivo, para, assim, serem solucionadas. Que Deus nos dê sabedoria, discernimento e coragem para resolver os problemas do município. (Braz – Vereador)
————————————————————
“Para mim o mais importante de tudo é a vida. Na PA 160, por exemplo, foi reduzido em mais de 92% o índice de acidentes fatais, o que me deixa satisfeito. Fui criticado por ser uma obra do estado, mas o fundamental é que haja segurança. Fui caluniado nos últimos três meses, dizendo que eu havia superfaturado um terreno para a construção habitacional. Contratamos um instituto e está aqui à disposição de todos o resultado da investigação, afirmando que foi comprado por um valor abaixo do mercado. Se não terminamos a Faruk Salmen, é porque a Rede Celpa está atrasando a retirada dos postes. (Valmir – Prefeito)

Deixe uma resposta