Pré-conferência de Assistência Social fala sobre Trabalho Infantil

0
251

A luta contra o trabalho infantil teve um passo importante no último dia 15. Representantes da Prefeitura Municipal, do Conselho Tutelar, da Promotoria do Ministério Público do Trabalho, Polícia Militar entre outros, apontaram diretrizes sobre o fluxo de atendimento e acompanharam a apresentação da campanha deste ano que leva como tema a “hashtag” #ChegadeTrabalhoInfantil.

No encontro foram firmados compromissos e pactuados procedimentos no caso de identificação do trabalho infantil. Para o secretário de Assistência Social, Jorge Guerreiro, toda ação que tenha como objetivo garantir direitos adquiridos tem que ser aplaudida e apoiada. “Precisamos sim lutar dia a dia para fazer com que nossas crianças tenham seus direitos respeitados e que aproveitem a infância para estudar, brincar e ser criança”, destacou o gestor.

Mesmo com a aplicação de políticas de proteção, em Parauapebas, segundo dados do IBGE, mais de 1000 crianças e adolescentes sofrem este tipo de violência. Conforme André Rocha, que integra a equipe de Ações Estratégicas do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (AEPETI), é necessário uma maior conscientização.  “O trabalho infantil ainda é uma triste realidade no município. Diferente de outras formas de violência, o trabalho infantil não é visto como uma violação de direitos da criança e do adolescente. Acredito que esse seja um dos maiores desafios dessa equipe”.

A coordenação do PETI destacou que ações como esta, além de seminários e campanhas de conscientização acontecerão durante todo o ano.

Texto: Antonio Fernandes

Foto: Jhonathan Felipe

Assessoria de Comunicação – ASCOM | PMP

Deixe um comentário