O nosso jornal

Quem é você?

SHARE
, / 312 0

Olhe para você. Olhe a sua volta, para sua família, seu trabalho, sua religião. Foi você que os escolheu ou eles escolheram você?
Grandes filósofos e pensadores, como Jean-Jacques Rousseau, Kant, Sartre, Bacon fizeram estudos sobre o homem e a sociedade. Uns defendiam que o ser humano é produto do meio em que vive. Outros discordavam disto.
Independente do que pensam os filósofos, basta uma ligeira olhada à nossa volta para sabermos a que viemos. Por que alguns têm sucesso e outros não? Ambição, sorte, ousadia? O que leva uma pessoa a arriscar tudo: casa, família, estabilidade, e partir rumo ao desconhecido, sem saber se o que fará dará certo ou não? Respondo: A necessidade!
A necessidade transforma o ser humano. Quantas famílias você conhece, cujos membros tomaram rumos diferentes? Conheço várias… Sei de irmãos que tiveram as mesmas oportunidades, estudaram nas mesmas escolas, viveram sob o mesmo teto, mas tiveram destinos diferentes. Um passou no vestibular, formou-se bem, obteve sucesso. Outros, continuaram a sina dos pais, com empregos medianos, ganhando pouco, fizeram uma puxada na residência e ficaram ali, esperando a morte chegar…
Ver uma história de sucesso de alguém que saiu de família pobre é coisa rara. Claro que um jovem filho de família rica terá mais oportunidade que um de família pobre. Mas se acomodar e se conformar, não lutar por uma vida melhor e digna, é resignar-se e aceitar o fracasso. O sol brilha para todos.
No entanto, sou obrigado a concordar com os filósofos que somos produtos do meio em que vivemos. Com raras exceções, quem vive num ambiente saudável, tende a crescer saudável! Esta história de que “meu filho foi criado na rua, descalço, com as mãos cheias de terra e nunca teve nada”, é estória. É lenda! Muitos dizem: “filho de rico vive doente!” Mentira! Filho de rico vive com saúde e bem. O fato é que filho de rico, quando espirra, vai para uma boa clínica se consultar, se tratar; pode ir quantas vezes for preciso, tem grana para isto! Já, filho de pobre, só vai para o hospital quando está com o pé na cova! De tanto brincar no esgoto, na rua imunda, com os pés no chão, morre. Mas como são tantos, os que morrem nem são notados. Os que sobrevivem, o fazem com sequelas. Têm raciocínio lento, vivem cansados, rendem menos nos estudos! Se este pobre coitado não tiver força e determinação para buscar algo melhor, morrerá pobre!
Eu que o diga! Meus pais sempre me deram tudo, mas se esqueceram de cuidar de mim. Saí de casa aos 18 anos e fui cuidar da vida! Meus irmãos ficaram. Alguns se foram para outras plagas e se deram bem. Não que a vida anterior não fosse boa. Mas era uma vida de dependência da mãe, em todos os aspectos! Casados e com filhos, era necessário construir algo novo. A necessidade os fez crescerem!
Concluí o curso de Direito em 2007! Vi vários colegas passarem na OAB, se tornarem advogados, obterem sucesso! O que eu fiz? Acomodei-me. A vida de professor, concursado, que gosto tanto, me bastava! O que me fez mudar de ideia? A necessidade! Vi alunos meus crescendo, passando em bons concursos, ganhando ótimos salários! Minha esposa, que foi minha aluna, chegou ao topo, com salário cinco vezes maior que o meu. Tive que decidir: ou me conformava com o mísero salário de professor, mesmo gostando da profissão, ou estudava para passar na OAB e acompanhar minha mulher, meus amigos! A necessidade de estar perto dela venceu! Estudei! Passei!
Deixei de ser produto do meio? Não! O meio me transformou para melhor! Hoje posso ser professor e advogado.
Nós moldamos nosso meio. Temos que tirar proveito dele. Mas não podemos esquecer de viver, em harmonia, em paz, com amor! Ver meus colegas e filhos tendo sucesso, despertou em mim o desejo de crescer.
Produza seu meio e se beneficie dele. Use-o para seu crescimento, progresso, bem estar! Não se conforme com coisas pequenas. Quando alguém te disser: “agradeça a Deus pelo que comida que você tem, lembre-se que tem muita gente passando fome”; diga: “Agradeço sim. Mas vou lembrar também que tem muita gente com muito mais comida, conforto, segurança, saúde que eu”! Por que vou olhar para o salário do professor se o que quero é o salário do Neymar?
Esta conversa de que a riqueza termina no cemitério não me convence! Que dinheiro não traz felicidade, é coisa de gente mal amada! Se dinheiro te proporciona ótima escola, boas roupas, ótimos hospitais, excelente alimentação, conforto, como não ser feliz? É feliz quem está bem, com saúde. Se você é pobre, tem saúde, família, é amado, querido, não passa fome, tem casa, então você não é pobre!!
Prefiro afogar minha tristeza em Paris, num hotel mil estrelas em Dubai, numa praia no Caribe, a dividir minha alegria no Sebozinho de Parauapebas! Garanto que será bem mais fácil minha tristeza acabar que sua alegria continuar num rio de bosta!
Vá atrás de seus sonhos! Não espere a necessidade chegar!
Está esperando o quê?? Vá logo!!
Dúvidas, sugestões e comentários entre em contato com o colunista: alipiomar@hotmail.com

Leave A Reply

Your email address will not be published.