Insumos, que totalizarão 50 milhões de unidades, serão doados ao Ministério da Saúde como parte de novo pacote de ajuda humanitária da empresa

Como parte de um novo pacote de ajuda humanitária no combate à pandemia no país, a Vale informa que o primeiro lote com dois milhões de seringas para combate à Covid-19 chegou na noite desta terça-feira (9/3) no aeroporto de Guarulhos, São Paulo. Os insumos, que serão doados ao Ministério da Saúde para apoiar os esforços de imunização da população brasileira, foram trazidos da China, país com o qual a empresa tem uma parceria de quase 50 anos. Mais 48 milhões de seringas têm previsão de chegada em maio, totalizando uma doação de 50 milhões desses itens. Todo o material está em conformidade com as especificações da Anvisa.

 

“A partir de diálogos com o Ministério da Saúde, nos comprometemos a oferecer este insumo fundamental para vacinar a população e ajudar o país a superar a pandemia”, afirma o diretor-presidente da Vale, Eduardo Bartolomeo. Ele lembra que esta ação está alinhada ao pilar estratégico da companhia Novo Pacto com a Sociedade. “A nossa determinação é doar integralmente ao Brasil todos insumos para apoiar a população a enfrentar a Covid-19”.

O apoio da Vale ao governo federal também inclui a entrega de 400 mil EPIs para a proteção de profissionais na linha de frente da vacinação. Em março, a empresa doou 240 mil máscaras, 40 mil pares de luvas e 120 mil aventais. O Ministério da Saúde está a cargo da distribuição de todos esses itens (EPIs e seringas).

Outras doações

A Vale também apoia o Instituto Butantan para concluir a ampliação do Centro de Produção Multipropósito de Vacinas (CPMV), que terá capacidade de produção de até 100 milhões de doses por ano. Além da vacina contra a Covid-19, a unidade poderá produzir outros imunizantes fabricados no Butantan. A previsão é que o centro, que ocupará uma área de 10 mil m², esteja pronto até setembro deste ano, ao custo total de R$160 milhões, dos quais R$10 milhões doados pela Vale.

O pacote também prevê apoio aos municípios das regiões de atuação para o enfrentamento da pandemia. A Vale está doando 36 mil metros cúbicos de oxigênio ao governo do Pará, 8 monitores multiparâmetros, 16 bombas de infusão e 20 camas manuais para Marabá, além de renovar convênio com o Instituto Acqua para a contratação de profissionais de saúde, que irão atuar na ala do Hospital Geral de Parauapebas, reformado em 2020, exclusivamente para o tratamento de pacientes com Covid-19.

“Atentos às necessidades dos territórios onde atuamos, estamos repetindo a operação de guerra que montamos no ano passado com a logística para importar os insumos para ajudar o país na pandemia”, diz o diretor-executivo de Relações Institucionais, Sustentabilidade e Comunicação da Vale, Luiz Eduardo Osorio.

Desde o início da pandemia, em março do ano passado, a Vale vem oferecendo ajuda humanitária para o combate à Covid-19.  No ano passado, a empresa destinou mais de 500 milhões de reais para comprar e doar 5 milhões de kits de teste rápido e quase 16 milhões de EPIs para o Ministério da Saúde, além de outras ações, como construção de hospitais de campanha, reformas de unidade de saúde e compra de equipamentos nos estados onde a empresa atua. Veja mais detalhes das ações aqui: http://saladeimprensa.vale.com/Paginas/Releases.aspx?r=Vale_anuncia_doacao_de_50_milhoes_de_seringas_para_combate_a_Covid_19_&s=Social_e_Cultura&rID=2847&sID=1

Deixe um comentário