Vereador pede implantação do programa Procon Móvel e Restaurante Popular

0
47

O DO vereador Israel Pereira, Miquinha (PT), solicitou nesta terça-feira (11), durante a sessão ordinária, por meio do Requerimento n° 26/2015, explicações do Executivo Municipal quanto as providências adotadas a cerca da Indicação n° 141/2013, que sugere a implantação do programa Procon Móvel em Parauapebas.
O Procon (Proteção e Defesa do Consumidor) é um órgão de defesa do cidadão nas relações de consumo e tem estrutura organizacional no Brasil inteiro, tendo os estados e municípios a responsabilidade pela sua estruturação e funcionamento. No município, o Procon foi criado pela Lei n° 4.213/2001, vinculado à Procuradoria Geral do Município, nos termos do inciso III, do parágrafo único do artigo 25.
Para Miquinha, Parauapebas tem crescido acima dos níveis estatisticamente normais. Em 2013, a cidade já comportaria um serviço volante de atendimento à população consumidora. “O Procon Móvel é uma oportunidade para o público tirar dúvidas e receber orientações gratuitas sobre os direitos e deveres, protegendo e defendendo o consumidor, utilizando-se da ordem legal, para promover a harmonização das relações de consumo”, explicou o parlamentar.
Na época, a Indicação n° 141/2013 sugeria que o Executivo disponibilizasse um ônibus caracterizado e advogados disponíveis para prestar atendimento sem a necessidade de agendamento de horário para tirar dúvidas e prestar orientações.
Por entender que esse serviço é de fundamental importância para a garantia de direitos básicos da legislação consumerista, os vereadores aprovaram a proposição, que será encaminhada ao Executivo.
Restaurante Popular – Com o intuito de cobrar explicações do Executivo quanto às providências adotadas para a implementação do restaurante comunitário no município, o vereador Israel Pereira, Miquinha (PT), apresentou o Requerimento n° 27/2015 durante a sessão ordinária desta terça-feira (11).
Em 2009, o vereador apresentou uma indicação encaminhando o projeto de lei que visava implantar o primeiro Restaurante Comunitário de Parauapebas. Nesse espaço de tempo, conseguiu-se destinar uma área específica para a construção, foi descerrada a pedra fundamental da obra e, até o presente momento, não foi construído e nem se sabe os motivos pelos quais a obra não andou.
Miquinha ressaltou, também, que a cidade de Parauapebas apresenta características totalmente diferentes de outros municípios brasileiros. A sua vocação minerária funciona atraindo tanto investimentos quanto um contingente de mão de obra e populacional não raras vezes desqualificada e de parcas condições socioeconômicas.
“O restaurante comunitário é uma unidade de alimentação e nutrição destinada ao preparo e à comercialização de refeições saudáveis, oferecidas a preços acessíveis à população. É uma alternativa simples e eficiente para contribuir com a melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores formais e informais de baixa renda, desempregados, estudantes, moradores de rua e famílias em situação de risco de insegurança alimentar e nutricional”, defendeu o parlamentar.
(Texto: Josiane Quintino / Foto: Anderson Souza Ascom CMP)

Deixe uma resposta