Bancários mantêm a palavra e entram em estado de greve

0
354

Em assembleia realizada na noite do dia 1º, os bancários do Pará aprovaram a orientação do comando de deflagração de greve nacional da categoria, por tempo indeterminado, e mantiveram a decisão entrando em estado de greve no dia 06, com uma paralisação que afeta bancos de instituições públicas e privadas.
Para o Sindicato dos Bancários, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) apresentou uma das piores propostas dos últimos anos de reajuste salarial de 5,5%, quase metade da inflação medida pelo INPC nos últimos 12 meses, registrada em 9,8%.
“A proposta não repõe sequer a inflação de 9,88% acumulada no período, e também não responde às reivindicações de mais contratações, melhorias de condições de trabalho e de segurança nas agências, igualdade de oportunidades, dentre outras demandas. Por isso, a partir do próximo dia 6, iniciaremos uma forte greve nacional, para derrotar a ganância dos banqueiros e garantir nossos direitos. Convocamos toda a categoria a construir uma greve forte em todo país, pois somente assim seremos vitoriosos”, destaca a presidenta do Sindicato dos Bancários do Pará, Rosalina Amorim.
Reivindicações da categoria:
Reajuste salarial de 16% (incluindo reposição da inflação mais 5,7% de aumento real);
PLR: 3 salários mais R$7.246,82;
Piso: R$3.299,66 (equivalente ao salário mínimo do Dieese em valores de junho último);
Vales alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá: R$788,00 ao mês para cada benefício (salário mínimo nacional);
Melhores condições de trabalho com o fim das metas abusivas e do assédio moral que adoecem os bancários;
Emprego: fim das demissões, mais contratações, fim da rotatividade e combate às terceirizações diante dos riscos de aprovação do PLC 30/15 no Senado Federal, além da ratificação da Convenção 158 da OIT, que coíbe dispensas imotivadas;
Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) para todos os bancários;
Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós;
Prevenção contra assaltos e sequestros: permanência de dois vigilantes por andar nas agências e pontos de serviços bancários, conforme legislação. Instalação de portas giratórias com detector de metais na entrada das áreas de autoatendimento e biombos nos caixas. Abertura e fechamento remoto das agências, fim da guarda das chaves por funcionários;
Igualdade de oportunidades: fim às discriminações nos salários e na ascensão profissional de mulheres, negros, gays, lésbicas, transexuais e pessoas com deficiência (PCDs).
Segundo a coordenadora do Procon de Parauapebas, Evellyn Moutinho, é importante que as empresas disponibilizem formas de pagamento amplas, de modo que o consumidor sempre tenha mais de uma opção para efetuar seus pagamentos.
Para não ser cobrado encargos (juros e multas) e ter o nome enviado a serviços de proteção ao crédito, a recomendação é que o consumidor entre em contato com a empresa, documente esse pedido, guarde cópia de e-mail, anote o número de protocolo de atendimento, por exemplo. Assim, caso a empresa não atenda à tentativa de quitar o débito, o consumidor pode fazer a reclamação ao Procon.
O contato com o Procon pode ser feito via e-mail: procon@parauapebas.pa.gov.br, pelos telefones: (94) 3346-7252/7253 ou ainda de forma presencial na sede do órgão localizado na Rua Araguaia, 40, bairro Rio Verde.

Deixe uma resposta