Com incentivo da SEMPROR, produtora rural aposta no café de açaí

Em uma região de plantio de açaí, na Área de Proteção Ambiental (APA) do Igarapé Gelado, zona rural de Parauapebas, a produtora rural, Perina Rodrigues, realizou demonstração do café feito a partir do caroço de açaí, nessa quarta-feira, 4. Segundo a produtora, o café de açaí começou a ser produzido há 27 anos com a adversidade encontrada no campo para comprar o café tradicional para o consumo familiar.

Perina explica que chegou à zona rural de Parauapebas na década de 1980, ela e a família moram próximo à Vila Sansão e já aprendeu a fazer outros produtos derivados do açaí, inclusive brigadeiro. Ela afirma que tem interesse em comercializar seus produtos. “Se houver a oportunidade, quero vender o café, pois assim poderemos gerar emprego e renda para outras pessoas também, inclusive outros produtores,” disse a produtora.

O cultivo de açaí na APA do Gelado é resultado de um projeto de compensação promovido pela empresa Vale, em parceria com a Prefeitura de Parauapebas, Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio) e Associação dos Produtores Rurais da Área de Proteção Ambiental (Aproapa), há oito anos.

Segundo o gerente de relacionamento com a comunidade da Vale, Edvaldo Gonçalves, além desse projeto voltado para o cultivo de açaí, outras ações também foram implantadas e beneficiam produtores de hortifrúti na região da APA. “Para estes projetos, a Vale entra com a contribuição financeira e a Sempror [Secretaria de Produção Rural] com assistência técnica, com acompanhamento direto com os produtores rurais. Além disso, para nós é uma satisfação contribuir com o desenvolvimento desta região”, disse Evaldo Gonçalves.

O secretário de Produção Rural, Eurival Martins, afirma que a Sempror vem garantindo assistência técnica para que a produtora tenha conhecimento adequado a fim de produzir e comercializar o café de açaí.

“A Sempror, em parceria com o Sebrae, está fazendo esta ponte para dar as possibilidades necessárias para a produtora empreender seu produto e garantir o registro, pois trata-se de algo novo. Nós estamos também apostando na divulgação do produto, mostrando que é possível desenvolver no campo de forma sustentável”, finalizou o gestor.

Texto: Jéssica Diniz
Fotos: José Piedade
Assessoria de Comunicação – Ascom | PMP

Deixe um comentário