Estudo vai apontar real situação do coronavírus em Parauapebas

A partir da próxima segunda-feira, 25, pesquisadores irão às ruas para entrevistas e aplicação de testes rápidos. A pesquisa é mais uma parceria entre prefeitura e Vale.

0

trabalho vai traçar o perfil epidemiológico da população que já pode ter sido exposta ao vírus, mesmo sem apresentar sintomas. O estudo é importante para ajudar a gestão municipal a dimensionar o atendimento da rede de saúde e fortalecer o combate à pandemia.

O estudo prevê testagem por amostragem da população. Os testes rápidos serão aplicados por técnicos de enfermagem de empresa especializada, a Teg Saúde, sob coordenação da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), com suporte financeiro da Vale. Os pesquisadores estarão devidamente identificados com crachá.

A pesquisa vai começar na próxima segunda-feira, 25, e estão previstos três ciclos de testes, com intervalos de quatro semanas entre uma pesquisa e outra. A cada nova etapa, os pesquisadores vão entrevistar e aplicar testes rápidos da Covid-19 em moradores de residências que serão escolhidas de forma aleatória, por sorteio, conforme determina a metodologia deste tipo de estudo. Todos os testes são gratuitos e a participação na pesquisa é voluntária.

“Temos buscado ferramentas para evoluirmos ainda mais na luta contra a Covid-19 em nosso município. A aplicação dos testes rápidos e a pesquisa que será realizada nessas residências vão contribuir com o melhor controle do novo coronavírus em Parauapebas, dando indicadores de contato prévio e atual da população. A execução dessa ação nos dará informações importantes para tomarmos medidas cada vez mais eficazes. Contamos com a ajuda da população, abrindo seus lares para a equipe que  estará devidamente identificada. Com a união do poder público, privado e população alcançaremos respostas para combater este vírus”, conclama o secretário municipal de Saúde, Gilberto Laranjeiras.

As equipes que realizarão as visitas domiciliares para aplicação de teste rápido e de um questionário participaram de treinamento nesta quarta-feira, 21.

Sobre o teste

O exame é capaz de detectar se a pessoa desenvolveu anticorpos, que são defesas produzidas pelo corpo humano contra o vírus. Os anticorpos sugerem que o contato com o vírus ocorreu, mesmo que a pessoa não tenha apresentado sintomas. Os resultados positivos não podem ser usados como evidência absoluta de coronavírus, mas são ferramenta importante para o auxílio na orientação para o isolamento e na definição das políticas públicas de atendimento.

Os resultados dos testes rápidos saem em, no máximo, 15 minutos. A realização não necessita de estrutura laboratorial porque serão realizados nas residências das pessoas sorteadas.

Texto: Karine Gomes (PMP) / Tamy Kondo (Vale) / Foto: Semsa

Deixe um comentário