Governo do Estado deixa quase mil alunos do Ensino Médio sem aula em Parauapebas

0
2952

Mais de 900 alunos continuam sem aulas em Parauapebas por falta de estrutura e investimentos do governo estadual. Na maioria dos colégios a ausência de professores é frequente, e o caso no Eduardo Angelin está mais caótico ainda, pois um grande número de adolescentes está matriculado e não teve nenhuma aula esse ano. Prejuízo maior para os que migraram do ensino fundamental para o médio.
A preocupação dos pais e dos matriculados fica maior a cada fim de mês, pois havia a promessa da construção de uma nova escola que atenderia toda a demanda migratória. Entretanto, chegou-se a metade do ano e o prédio continua sem infraestrutura e professores para receber o alunado, que enxerga o primeiro ano do ensino médio deficitário.
Os vereadores Euzébio Rodrigues e Israel Pereira, o Miquinha, ambos do PT, apresentaram uma Moção de Repúdio (nº 002/2015) ao governador do Pará, Simão Jatene (PSDB), pela maneira como a questão da educação e da greve dos professores havia sido tratada. O documento foi aprovado pelos demais parlamentares durante a sessão ordinária da Câmara Municipal e encaminhada ao gestor estadual.
Na justificativa da Moção, os vereadores relatam que a paralisação por tempo indeterminado teve como principal reivindicação a exigência de que o governador pague o piso salarial dos professores, atrasado desde janeiro; além da manutenção das aulas suplementares sem redução de salários; eleição direta para diretor e implementação do Plano de Carreira Unificada.
“O descaso com as reivindicações dos professores reflete a maneira pela qual o Governo do Estado vê a educação. A falta de valorização desse profissional, que tem a tarefa árdua de formar as novas lideranças promotoras das mudanças nas estruturas desse país, antevê a marcha regressiva da criticidade da massa juvenil, bem como a redução da sua capacidade de propor soluções para os problemas sociais cada vez mais gritante na sociedade atual”, destacaram os vereadores na justificativa do documento.
A reportagem entrou contato com Alcinara Jadão, diretora da Unidade Regional de Educação – 4ª URE, a qual informou que todos os alunos matriculados irão iniciar o ano letivo no dia 1º de agosto, uma vez que foram contratados 42 professores, todos para Parauapebas, e as duas novas escolas estão em fase de finalização, Faruk Salmen no Bairro Rio Verde e Janela Para o Mundo no Cidade Jardim.
Alcinara, via telefone, explicou que houve um crescimento vertiginoso no numero de alunos para concluir o ensino médio e que em Parauapebas existe uma situação atípica dos demais municípios paraenses, pois agrega filhos de trabalhadores das cidades adjacentes e vários distritos. Contudo, cada escola tem capacidade para atender a 1.500 alunos e com isso cessaria o problema, uma vez que só funcionará ensino médio nas duas novas escolas, com salas refrigeradas, professores contratados e um calendário especifico para cada casa de ensino, que pode entrar no ano de 2016.
“O governo do Estado está investindo. Prova disso é a contratação de 42 professores e a implantação de duas novas escolas, o que vem a tranquilizar um pouco a população e nós educadores. Só para se ter uma ideia da particularidade de Parauapebas em 2014 havia no município um quantitativo de oito mil alunos, já em 2015 pulamos para 14 mil alunos. É um salto muito grande, mas, ninguém ficará fora da sala de aula”, ressaltou a diretora da 4ª URE.
(Texto: Luís Bezerra/Foto: Arquivo Google)

Deixe uma resposta