Homicida é preso em Parauapebas após mortes em guerra de facções

"Rana" é conhecido como um matador e possivelmente membro do Comando Vermelho. As duas vítimas recentes pertenciam à rival PCC

André, conhecido como "Rana", é acusado de pelo menos dois homicídios neste ano, em Parauapebas (Divulgação / Papo Carajás)

André William Silva do Nascimento, conhecido como “Rana”, foi preso em Parauapebas. Ele é acusado de dois homicídios no município, ocorridos nos dias 22 de março e 30 de abril deste ano. No entanto, possivelmente, outras mortes podem estar conta dele. É um conhecido matador e vinculado ao Comando Vermelho Rogério Lemgruber (CVRL). As vítimas eram ligadas ao Primeiro Comando da Capital (PCC).

Os mandados de prisão contra ele foram cumpridos nesta sexta-feira (26), pela Polícia Civil. As vítimas eram Isaque Santos Roldão (22 de março, morto a tiros e facadas) e Antônio Wesley Silva Pereira (30 de abril). André nega as acusações e o advogado dele afirma que ele sequer conhecia as vítimas.

Após a prisão, a Polícia Civil explicou que, no dia em que morreu, Isaque recebeu uma ligação — possivelmente para fazer uma entrega de drogas e ele estava com uma porção de maconha — e foi atacado por André. Quando foi encontrado pela Polícia Militar, a vítima foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros Militares, mas morreu durante o atendimento.

Antônio Wesley, no dia em que foi assassinado, empinava pipa no bairro Liberdade I, num ponto conhecido como “Morro do Macaco”. Foi chamado pelo nome por um homem mascarado. Quando atendeu, levou vários tiros. Foi a morte dele que chamou a atenção dos policiais para a disputa entre facções e então se chegou ao nome de “Rana”.

“Rana” costumava migrar entre três endereços e os policiais civis precisaram montar táticas de monitoramento para capturá-lo. Os esconderijos também era estratégicos, pois possuíam rotas de fuga. Ele tentou fugir, mas não conseguiu ir longe. Todos os endereços estavam cercados. A prisão dele pode representar avanços nas investigações contra as duas facções criminosas e outros homicídios.

Fonte: www.oliberal.com

Deixe um comentário