Lixo continua sendo um problema sério em Parauapebas

0
648

As duas pontes (principalmente a de saída) que ligam o bairro Liberdade ao bairro União e outras áreas como a Av. Faruk Salmen da cidade de Parauapebas que servem de passagem para milhares de cidadãos estão sofrendo com o despejo irregular de resíduos. Animais mortos, móveis estragados e lixo doméstico são encontrados nos locais produzindo um forte cheiro desagradável que se alastra pela área e incomoda todos os transeuntes do local.

Maria Joaquina de 50 anos, moradora há mais de 10 anos do bairro liberdade 2, passa pela área constantemente  e diz que a região sempre foi assim e que no inverno piora, pois a chuva inunda o local fazendo com que o lixo se espalhe pela rua. Disse também que a própria população que suja as pontes e que além de não ver a prefeitura realizar algum levantamento sobre o local. Os jovens Wemeson e Marcelo também passam pela região com bastante frequência, disseram que, além de nunca terem visto a região limpa, já flagraram caminhonetes, provavelmente de donos de mercados e açougues, despejando lixo no local e saindo como se nada tivesse acontecido.

Em uma entrevista realizada com a especialista em gestão ambiental e saúde pública Bárbara Fechter, integrante da equipe do governo de Valmir Mariano (PSD) a gestora informa que não se pode cobrar da população uma medida correta na hora do descarte do lixo se o governo ainda não têm uma política ambiental consolidada no que diz respeito a coleta desses resíduos. Ainda de acordo com Barbara a solução para estes problemas vem sendo trabalhada por etapas. Em 2014 a prefeitura comemorou a conclusão do Aterro Sanitário que hoje é referência para muitas cidades, pois além do aterro também desenvolveu a Central de Tratamento de Resíduos (CTR) que possibilita o reaproveitamento da maioria dos materiais coletados.

Apesar da coleta regular de lixo comum realizada pela equipe da Secretaria Municipal de Urbanismo (Semurb) em dias específicos da semana em cada bairro, a população acaba por não respeitar os horários em que o lixo deve ser colocado nas lixeiras deixando assim o conteúdo das mesmas a mercê de animais de rua que espalham os dejetos pelas ruas e calçadas, deixando uma aparência e um cheiro desagradável. Além do lixo doméstico há também um grande problema com entulhos que são jogados em terrenos e áreas verdes da cidade. Muitos empresários do ramo de supermercados, açougues, bares e lanchonetes são também grandes produtores de lixo e não se comportam com responsabilidade com relação ao descarte adequado de seus resíduos e acabam lançando estes em áreas afastadas do perímetro urbano transformando-as em terrenos baldios.

De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, os grandes produtores de lixo devem se responsabilizar por sua destinação final. Com o objetivo de preparar a classe empresarial para aplicação dessa política no município, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) realizou uma reunião com entidades que os representam.

A reunião ocorreu no auditório da Semma, com a presença dos empresários Marksan Gomes da Silva, representando a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), e Leonardo Pinheiro, da Associação Comercial e Industrial de Parauapebas (Acip).

Durante o encontro, o então titular da Semma, André Rosa, apresentou a problemática do aumento da geração de resíduos em decorrência do crescimento populacional acelerado do município, destacou os custos do poder público para realização do serviço e reforçou a viabilidade de implantação de empresas de reciclagem.

“Vamos sensibilizar nossos associados de que o projeto é de suma importância para toda a população, pois tem viabilidade econômica e vai gerar emprego e renda para a nossa cidade”, reforçou Leonardo Pinheiro. Markzan Gomes afirmou que a CDL vai colaborar com a ação. “Vamos tomar as providências e informar os lojistas e os varejistas de nossa cidade. Acredito que vai ser benéfíco para todos. É um projeto de longo prazo, mas que vai beneficiar. E a CDL vai apoiar no que for preciso”, prometeu o empresário.

Essas são atitudes tomadas pelo poder público do município, porém a população também deve ter consciência da sua responsabilidade com o lixo que produz e as causas que esses resíduos causam ao meio ambiente e consequentemente a qualidade de suas próprias vidas. Sendo assim ainda espera-se que campanhas voltadas para a educação ambiental da comunidade sejam uma realidade constante em Parauapebas, pois uma cidade com tanto valor econômico e ambiental deve estimular sua população a saber sobre a importância de cada indivíduo na manutenção das riquezas naturais e a prática de atitudes sustentáveis.

 

Fotografias tiradas na Faruck Salmen | Avenida Santa Catarina que liga o Bairro Liberdade do União| Ponte que liga o Bairro União com o Rio Verde

Entulhos
Entulhos
Ossada de animais
Ossada de animais
Até mesmo latarias de veículos é encontrado  em terrenos
Até mesmo latarias de veículos é encontrado em terrenos

Deixe uma resposta