Mais de 300 alunos da escola Dorothy Stang participam do 3º Festival de Mini-Handbol

0

A escola Dorothy Stang realiza há três anos o Festival de Mini-handebol, com o objetivo de desenvolver competências e habilidades no dia-a-dia e no ambiente escolar. As competições, que já fazem parte do calendário escolar, são organizadas ao longo do ano com a preparação de mais de 300 estudantes dos 4º e 5º anos dos ciclos iniciais. O festival tem início oficialmente no mês de agosto, quando os estudantes podem demonstrar todas as habilidades apreendidas.

Na manhã da última sexta-feira, 6, ocorreu a final da 3ª edição do festival. Uma torcida animada composta por pais e estudantes se fez presente na quadra do anexo 1 da escola. Ela motivou os times que entraram em campo em clima de final de campeonato oficial. Gabrielly Silva Lima e Melissa Chaves fazem parte do time feminino do 5º ano que conquistou o ouro. Para elas, mais importante que vencer é competir. “É minha segunda participação no festival e durante estes dois anos eu tenho aprendido muito e melhorado até minha saúde. Estou muito feliz por esta oportunidade”, garante Melissa. Os pais também aprovam a iniciativa da escola e apoiam os filhos durante as competições. Antonio Marcos de Jesus e Lubria Silva são alguns daqueles que marcaram presença no final do campeonato. Para eles, a escola está proporcionando lazer e aprendizagem para os filhos. “Meu filho gosta de esporte e se envolve em várias atividades, na quadra ele desenvolveu melhor algumas habilidades e valores, hoje se relaciona bem melhor com os colegas”, relata Antônio, pai do atleta Harison de Jesus.

O ESPORTE FAZ A DIFERENÇA

“O nosso grande objetivo, além de apresentar o handebol futuramente de uma forma mais avançada, é desenvolver o espírito de liderança, coletividade, trabalho em equipe; trabalhar algumas qualidades físicas como força, agilidade, tempo de reação, flexibilidade sempre de forma lúdica”, afirma o professor de educação física e idealizador do projeto, Luziano Carvalho. Ainda segundo o professor, alguns valores afetivos, sociais e cognitivos também estão sendo desenvolvidos. “O ganho social é gigantesco, a aprendizagem deles tem melhorado significativamente, tenho exemplos de alunos que apresentavam várias dificuldades tanto no esporte quanto em sala de aula e hoje já melhoraram bastante”, destaca Carvalho mencionando e agradecendo o apoio recebido pela Secretaria de Educação.

 

Texto e Foto: Messania Cardoso / Assessoria de Comunicação – Ascom/PMP

Deixe um comentário