Nova secretária se reúne com os segmentos de cultura em Parauapebas

0
454

“Um pedido de socorro”. Foi com esta expressão que vários segmentos culturais propuseram uma reunião imediata com a nova secretária de cultura, Josélia Oliveira, na cidade de Parauapebas. Uma diversidade cultural participou do encontro do último dia (23), entre eles: teatro, cinema, segmento LGBT, carimbó, hip hop, capoeira, escolas de samba, blocos, músicos, acadêmicos de letras, escritores, conselho de cultura, quadrilha junina, rock, praticantes de xadrez, artesãos, enfim, todos querendo que a lei de incentivo a cultura seja cumprida. “Espero que a nova secretária caminhe junto conosco. Para que a gente possa fazer um trabalho bonito, realizar um trabalho de brilho, de qualidade, não só das escolas de samba, mas também dentro do segmento LGBT”, afirmou Cristina Carmona, coordenadora geral do Segmento LGBT e presidente da escola de samba Estação Eles e Elas.

Em 2015, teremos a conferência de cultura. A ideia dos segmentos é fazer este tipo de reunião pelo o menos uma vez por mês, para que seus projetos sejam debatidos juntamente com a Secretaria de Cultura (Secult). “Ouvir primeiro a classe e depois tentar entender o que se pode fazer por eles. A secretaria tem que dar esse suporte. Somos produtores de cultura e precisamos desse apoio para que o carnaval, ou outro segmento, esteja com qualidade”, disse Cícero Ribeiro, presidente da LIABESPR, organizador do carnaval e blocos carnavalescos de Parauapebas.

Futuramente os segmentos pretendem realizar um circuito cultural para melhorar e incentivar a cultura na cidade. Para isso, segundo eles, é preciso que a sociedade entenda que a cultura é arte e que pode transformar as pessoas. “Que possa vir da parte do governo a aplicação das politicas públicas, em forma de fundos, de editais, de prêmios, ou de ações e intercâmbios com os artistas fazedores de cultura”, disse Clodoaldo Souza, representante do Grupo Raízes Parauara e do Movimento Cultural Amazônida.

O encontro da nova secretária com os segmentos serviu para que se possa iniciar um planejamento e uma forma de trabalho para atender as diversas solicitações feitas pelos movimentos culturais, entre elas, a discussão sobre a lei de incentivo e o conselho de cultura. “Uma das minhas metas é poder sentar com eles e elaborar projetos juntos e rever os projetos que foram engavetados. Todo mês quero desenvolver e fazer essa tarefa com eles. Nossos jovens e crianças de Parauapebas estão sofrendo por uma falta de ocupação. Nossos artistas têm muita vontade e sede de trazerem essas crianças e esses jovens para, futuramente, ingressar em uma carreira no mercado de trabalho. É uma tarefa árdua, mas acredito que juntos, todos dando as mãos, a gente poderá desenvolver um bom trabalho aqui para a nossa cidade e acabar de vez com esse anseio deles”. Finalizou Josélia Oliveira, secretária de cultura de Parauapebas. (Por Fábio Relvas | Edição de texto: Pedro Nascimento).

Deixe uma resposta