Obras no Igarapé Lajeado beneficiarão mais de 500 famílias diretamente

0
300

A bacia do Igarapé Lajeado passará por melhorias com obras de infraestrutura que integram o Programa de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem, Recuperação de Igarapés e Margens do Rio Parauapebas (Prosap). Em outubro de 2018, o pré-projeto do Igarapé Lajeado foi aprovado pelo Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), instituição que deve financiar as obras, e agora avançou para a fase de elaboração dos projetos básico e executivo.

“O Prosap é um programa municipal macro, que vai gerar mais qualidade de vida para a população por meio de obras de melhorias nas bacias dos Igarapés Ilha do Coco, Lajeado, Guanabara e Chácara das Estrelas. As obras serão executadas ao longo de seis anos com recursos do município e também de entidades financiadoras”, explicou Cleverland Carvalho, coordenador de Projetos Especiais e Captação de Recursos da Prefeitura de Parauapebas.

“Boa parte das obras no Igarapé Ilha do Coco deve ser financiada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), já as obras que serão realizadas no Igarapé Lajeado e que beneficiarão mais de 500 famílias diretamente, devem ter o aporte financeiro do BNDES”, acrescentou Cleverland.

O Consórcio Basitec-Arkis será responsável pela elaboração dos projetos básicos e executivo do Igarapé Lajeado, conforme publicação no Diário Oficial da União, que pode ser acessada aqui. Sem esses projetos é impossível prosseguir no processo de financiamento junto ao BNDES. “A nossa meta é que as obras no Lajeado iniciem em 2020”, informou Cleverland.

                                       Obras no Igarapé Lajeado

O trecho do Igarapé Lajeado, que receberá as obras, tem 12,36 km de extensão e passa por pelo menos 13 bairros de Parauapebas: Vale do Sol; Jardim Ipê; Jardim Tropical; Jardim Ipiranga; Novo tempo; Amec Vile; Vila Rica; Casas Populares I; Casas Populares II; Polo Moveleiro; Vila Nova; Minérios; Cidade Jardim.

As obras que serão executadas são: macro e microdrenagem; construção de vias nas margens do canal; construção e ampliação de componentes dos sistemas de esgotamento sanitário e de abastecimento de água; urbanização e paisagismo com a construção de parques lineares, quadras esportivas, academias ao ar livre, entre outros equipamentos públicos voltados ao lazer e à prática de esportes.

As famílias da área atingida pelas obras já foram pré-cadastradas. Posteriormente, será realizado o fechamento do cadastro, a selagem das casas e a avaliação de quais serão remanejadas para as unidades habitacionais a serem construídas por meio do programa.

Texto: Karine Gomes / Fotos: Piedade Ferreira

Assessoria de Comunicação – Ascom/PMP

Deixe um comentário