Prefeitura consulta população sobre criação de Unidades de Conservação Municipais

0
321

Em Audiência Pública realizada nessa quinta-feira (19), no Plenarinho da Câmara de Vereadores, a Prefeitura apresentou o Estudo Ambiental e Social (EIAS) e ouviu a população sobre a criação de Unidades de Conservação Municipais, uma condicionante das obras do Projeto de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem e Recuperação de Igarapés e Margens do Rio Parauapebas (Prosap), o maior projeto de infraestrutura da história de Parauapebas, financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

A Audiência contou com a presença da comunidade em geral, de órgãos ambientais, instituições públicas federais, estaduais e municipais; organizações não governamentais, proprietários de terras, representantes dos setores empresariais e associações comunitárias.

“O nosso objetivo aqui é ouvir; queremos garantir o máximo de participação. A Semma já vinha estudando áreas potenciais que poderiam ser criadas Unidades de Conservação e coincidiu também com a condicionante do Prosap, o que acelerou esse processo. É uma obra que vai resolver todos os passivos ambientais e sociais da nossa cidade”, destaca Dion Leno Alves, secretário municipal de Meio Ambiente.

A discussão trata-se da criação de duas unidades de conservação, que são o Parque Municipal do Morro dos Ventos e a Apa do Igarapé Ilha do Coco.

“É um passo muito importante, não só para o Prosap, mas para todo o município. Além de ser uma condicionante do BID, que preza muito a questão ambiental e social, vai beneficiar o município também, ou seja, vai conseguir preservar uma área verde no centro da cidade e garantir o lazer para a população como um todo”, diz Daniel Benguigui, diretor do Prosap.

A criação das Unidades de Conservação Municipais é bem vista pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão gestor federal das unidades de conservação em Carajás. “Com o conhecimento que temos, tentamos contribuir o máximo possível nessas propostas com base nas informações que foram apresentadas sobre as áreas. Trata-se de uma área que ainda tem suas riquezas naturais ali, que está no centro do município e que, muitas vezes, no dia a dia, a gente não dá a devida atenção ao local”, ressalta Marcel Guedes, analista ambiental do ICMBio.

Saiba mais

Atualmente, Parauapebas, com o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), está desenvolvendo o Projeto de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem e Recuperação de Igarapés e Margens do Rio Parauapebas – Prosap. Dentre diversas obras que serão implantadas no território, existe a Lagoa de Detenção, a ser construída no Igarapé Ilha do Coco, para reduzir problemas recorrentes com cheias na área.

Para aproveitar o espaço, após a instalação da Lagoa de Detenção, foi concebido um conjunto de equipamentos sociais para trazer lazer à população local. Contudo, percebeu-se que, junto à área da futura lagoa, existe um morro que ainda apresenta a vegetação original, que dominava a atual área urbana do município.

Desta forma, surgiu a ideia da criação das unidades de conservação, que podem proteger as estruturas da lagoa e, ao mesmo tempo, fornecer lazer, propiciando também conservação da vegetação ainda existente nas adjacências.

Todas as informações e mapas das áreas de criação das Unidades de Conservação Municipais estão disponíveis no portal da Prefeitura, na internet, no link: http://bit.ly/2ObKP7Q .

Texto: Sara Dias / Fotos: Lucas Dias

Assessoria de Comunicação – Ascom/PMP

Deixe um comentário