Professores lançam revista sobre experiência com mineração

A revista é fruto do programa Circuito Mineração nas Escolas executado pelaVale em parceria com a Secretaria Municipal de Educação

0
356
Revista é resultado do Projeto Circuito Mineração realizado pela Vale e a Semed
“O lançamento da revista é um momento de realização”. A celebração é da coordenadora de educação do 3º e 4º ciclos da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Valdelice Cardoso. Ela e a equipe de coordenadores e professores de História, Ciências e Geografia atuaram fortemente durante a realização do projeto Circuito Mineração nas Escolas, iniciativa da Vale realizada em parceria com a Semed, que encurtou distâncias e abriu horizontes, mostrando como a mineração está presente no dia a dia das pessoas e como a atividade está inserida na dinâmica da cidade.

A “Revista do Circuito Mineração nas Escolas: a experiência de Parauapebas”, lançada na última semana, reúne artigos produzidos pelos professores da rede pública do município que participaram das ações do projeto em 2018.  “É um momento de realização, não apenas pelo lançamento da revista em si, mas sim para nós vermos a aquisição do conhecimento e a contribuição que este projeto teve para a melhoria do conhecimento dos alunos e o suporte pedagógico para os professores. Isso é muito rico e gratificante para todos nós”, comemora Valcelice.

Além de contar as experiências e o aprendizado compartilhado em sala de aula e também nas aulas de campo, a publicação também mostra outras possibilidades. “A revista abre uma porta para que os professores busquem produzir ainda mais dentro da escola com os alunos. Conseguir escrever as práticas que ele desenvolve aliadas à questão do conhecimento científico traz mais inovações para dentro da sala de aula”, ressaltou o professor de Ciências da Escola Domingos Cardoso, Wagner Ribeiro.

O Circuito Mineração nas Escolas atendeu, entre 2014 e 2017, mais de 48 mil alunos. Nesse período, foram realizadas visitas, formações, promoção de palestras e os professores puderam contar com um reforço diferenciado para as aulas de Ciências, História e Geografia do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, o kit de geociências. Projeto pioneiro da Fundação Vale que levou amostras de fragmento de rochas minerais identificados e guia de orientação para o professor e o aluno, transformando salas de aula em laboratórios.

Ano passado, o projeto promoveu 25 visitas, envolvendo cerca de 900 alunos da rede municipal de ensino, que conheceram as operações da Vale, em Carajás. Mais de 150 professores das disciplinas de História, Geografia e Ciência participaram de três formações de professores, com visita a instalações da Vale.

Para o aluno Luiz Henrique dos Santos Freitas, da Escola João Evangelista, morador da comunidade da Palmares Sul, as visitas (aulas de campo) foram muito interessantes. “Apesar de ser morador de Parauapebas, a gente não conhece como funciona a mineração. A gente só sabe que tem, mas não sabe o que significa. Mas hoje, pra mim, mineração representa a maior fonte de riqueza do nosso município e o que impulsiona o nosso município pra frente”, destacou.

                    Nova temporada de visitas do Circuito Mineração

O projeto iniciou nova temporada em 2019, destacando o tema ‘Profissões do Futuro’. Nesta etapa do projeto, o objetivo é apontar as carreiras mais promissoras dentro da cadeia produtiva da mineração para os próximos dez anos, proporcionando aos informações aos jovens, despertando o interesse para futuras profissões e oportunidades, retratando o momento atual de transformação digital e Indústria 4.0 no setor de produção mineral e na Vale.

                              Sobre o Circuito Mineração

O Circuito Mineração é uma parceria entre a Vale e a Secretaria Municipal de Educação iniciada em 2014, que busca aproximar a mineração ao dia a dia das escolas e ampliar o conhecimento sobre a atuação do setor mineral e os seus benefícios para a sociedade. Em 2019, a iniciativa também está sendo levada para Canaã dos Carajás.

Vale.com

Deixe um comentário