Qualificação profissional garante mais renda para famílias do campo

Cursos oferecidos pela Prefeitura de Parauapebas motivam pequenos agricultores a investir no empreendedorismo e aumentar a renda

Pequenos agricultores têm potencializado a renda como resultado das qualificações profissionais oferecidas pela Prefeitura de Parauapebas, que chegam a centenas de famílias no campo. A Secretaria de Produção Rural (Sempror) investe em parcerias que levam mais conhecimento aos produtores. Consequentemente, é gerado mais trabalho, mais qualidade de vida e uma melhor gestão da propriedade rural.

“Parcerias com o Senar e outras instituições, como universidades, Adepará e Emater, foram firmadas pela Sempror, o que proporciona mais condições para que as famílias da agricultura continuem no meio rural através do benefício. A formação profissional também resultou em promoção social nas comunidades de toda a zona rural do município”, explica o secretário de Produção Rural, Elson Cardoso.

A agricultora Ana Sara Santos, residente na Vila Albanir, foi uma das beneficiadas do Programa de Qualificação no Campo da Sempror ao realizar o curso de panificação ministrado pelo Senar, na localidade. Com o conhecimento que adquiriu, a produtora investiu na atividade apenas R$ 50 em matéria-prima inicial e agora produz e vende deliciosos pães caseiros apreciados por toda comunidade.

“O curso que eu fiz pela Sempror em parceria com o Senar foi uma oportunidade que a Prefeitura de Parauapebas trouxe para nossa comunidade. Eu comecei com pouco e fui investindo. Hoje, essa qualificação está me proporcionando ajudar minha família e realizar um sonho, que é pagar o meu curso de Pedagogia”, conta a produtora.

A realidade da Sara é a mesma vivenciada por tantos outros produtores beneficiados por essas qualificações que ajudam no gerenciamento das propriedades, aumento da produtividade e na melhoria da qualidade da produção. Para Maria Saraiva, mediadora de conhecimento da Sempror, as formações oferecidas desde 2017 são importantes principalmente por incentivar as mulheres a desenvolverem novas habilidades e, assim obterem a própria renda.

“A qualificação chega ao campo, o que é mais cômodo para os produtores. Os cursos como Panificação, Processamento de Frutas, Embutidos e Defumados, Derivados do Leite, entre outros, já capacitaram aproximadamente 2.800 produtores, entre eles, as produtoras, que podem ter o dinheiro delas”, enfatiza Maria Saraiva.

Texto: Erika Sarmanho / Fotos: Chico Souza

Deixe um comentário