Saiba quais são os 17 cargos que bombaram no 1º semestre em Parauapebas

Há vagas com iniciais de quase R$ 1.100 a quem estiver disponível para faxina fixa. Entre os cargos básicos, operador de pavimentadora assina carteira com média de quase R$ 2.700.

O Blog do Zé Dudu vasculhou quais foram os cargos responsáveis por isso e, entre admissões e desligamentos, 17 ocupações reinam ostentando saldo líquido de, pelo menos, 50 empregos formais. Os registros em carteira de 171 faxineiros lideram o topo de empregos na “Capital Nacional do Minério de Ferro”. O salário médio dos novos faxineiros contratados ficou em R$ 1.082, acima, portanto, do salário mínimo.

Também foram destaque, com mais de uma centena de admissões, os cargos de motorista de ônibus urbano, montador de máquinas, carpinteiro, auxiliar de escritório e ajustador mecânico. Entre as funções que remuneraram melhor está a de operador de pavimentadora, que cravou 68 vagas com salário inicial médio de R$ 2.629 na carteira, conforme o Caged.

Numa análise mais estendida, o cargo que pagou o maior salário em Parauapebas foi o de gerente de projetos de tecnologia da informações, no valor de R$ 19 mil. No entanto, o cargo fechou no vermelho, ao demitir dois trabalhadores e contratar só um. O segundo que remunerou melhor, gerente de produção e operações, por R$ 17.333 na carteira, também fechou com mais demissões que contratações, assim como médico do trabalho, que pagou R$ 15.397.

Confira os cargos e os salários que colocaram Parauapebas no topo da geração de empregos formais no Brasil durante o primeiro semestre de 2019!

www.zedudu.com.br

Deixe um comentário