Vale desembolsou R$ 4,4 bi no Pará no 3º trimestre de 2019

O balanço socioambiental e econômico da mineradora foi divulgado nesta segunda-feira, 18

0
Investimentos em projetos sociais, informações de plantio, reuso e reciclagem, números de emprego e investimentos econômicos. Esses dados constam no balanço trimestral que a Vale divulga à sociedade sobre a sua atuação no Pará. O último balanço, divulgado nesta segunda-feira, 18/11, a mineradora destaca o trabalho de incentivo à participação mais intensa de  mulheres na mineração, setor historicamente masculino.

A empresa lançou um processo seletivo do seu Programa de Formação Profissional com foco em mulheres e pessoas com deficiência. A seleção resultou no ingresso de 240 mulheres, maior grupo feminino do Complexo Minerador de Carajás. Elas já estão em sala de aula na fase teórica da preparação, onde ficarão por até cinco meses, antes de irem para as áreas operacionais.

A publicação destaca ainda, os acordos de cooperação na área de segurança pública com o Governo do Pará, com objetivo de  intensificar ações articuladas e integradas de políticas públicas, defesa social e valorização da cidadania no estado que totalizam R$ 105,1 milhões. No primeiro convênio, o governo do Pará contará com investimentos da mineradora para fornecer recursos materiais à atuação das policias Civil e Militar no sudeste paraense, nas cidades de Canaã dos Carajás, Curionópolis, Parauapebas, Ourilândia do Norte e Eldorado do Carajás. Já o segundo acordo prevê a construção de espaços comunitários inclusivos, denominados Usinas da Paz. Esses complexos são a base física do programa estadual Territórios pela Paz (TerPaz).

Ainda sobre a parceria pelas Usinas da Paz, recentemente, a empresa realizou um encontro com empresários, em Belém, com o objetivo de apresentar aos fornecedores paraenses, as oportunidades de contratação pela Vale para construção das usinas. A ação contou com parceira da Federação das Indústrias do Estado do Pará (FIEPA), por meio da REDES – Inovação e Sustentabilidade Econômica, Sindicato das Indústrias Minerais (Simineral) e do Sindicato das Indústrias de Construção Civil (Sinduscon).

Na área econômica, a Vale adquiriu R$ 3,8 bilhões em compras locais nos primeiros nove meses do ano. No terceiro trimestre, em Marabá, o volume foi de R$ 392 milhões, seguida por Parauapebas, com R$ 378 milhões, e Canaã dos Carajás, com volume de R$ 354 milhões em compras de julho a setembro desse ano.

Arrecadação nos primeiros nove meses de 2019
A atividade minerária da Vale gerou R$ 816 milhões aos governos somente no 3º trimestre do ano, considerando-se os mais importantes tributos e compensação. Já ao longo dos nove primeiros meses do ano, foram gerados R$ 2,1 bilhões aos Governos.
Estão incluídos a Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), a Taxa de Controle, Monitoramento e Fiscalização das Atividades de Exploração e Aproveitamento de Recursos Minerários (TFRM), a Taxa de Controle, Acompanhamento e Fiscalização das Atividades de Exploração e Aproveitamento de Recursos Hídricos (TFRH) e o Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS).

Apenas em termos de CFEM, foi R$ 1,4 bilhão gerados pelas operações da Vale no Pará. Os valores da CFEM são repassados pela Vale à Agência Nacional de Mineração (ANM), que faz a distribuição para os municípios mineradores, Estado, União e outras entidades.

O período de julho a setembro é conhecido pelo aumento do índice de incêndios florestais no sudeste do Pará. A Vale mantém parceria com órgãos ambientais para prevenção de incêndios e, nesse período, atuou na construção de 139 quilômetros de aceiros e ainda, na capacitação de 180 pessoas no treinamento de brigadistas para formação dos Grupos de Combate a incêndios florestais.

A empresa aportou R$ 39,5 milhões em dispêndios ambientais de julho a setembro deste ano, recirculou 92% de água no mesmo período e produziu mais de 88 mil mudas nos viveiros florestais das unidades de Onça Puma, Sossego e Carajás, no sudeste do estado. A Vale emprega mais de 27 mil pessoas no Pará, entre próprios e terceirizados, gerando uma massa salarial de 323 milhões de reais.

No período de julho a setembro, o Trem de Passageiros da Estrada de Ferro Carajás (EFC), administrada pela Vale, transportou 92 mil passageiros.

Para ter acesso a todo o balanço do Vale Mais Pará, basta acessar o link da publicação, disponível no site da empresa:

www.vale.com/pa.

Deixe um comentário