Belém homens morrem ao tentar roubar 1 milhão do Banpará

Share on facebook
Share on whatsapp

Nesta quinta-feira (29) de julho, a Polícia Civil conseguiu evitar um assalto ao aconteceria a um caixa eletrônico do Banpará localizado dentro do Hospital  Ophir Loyola, em Belém, Equipes da Divisão de Homicídios (DH) e da Delegacia de Repressão de Furtos e Roubos (DRFR), já vinha monitorando o grupo a aproximadamente 30 dias, o plano do grupo seria roubar 1 milhão.

Durante a ação foram presas quatro pessoas e outras três ao entrarem em confronto com a polícia acabaram morrendo. Dentre eles um homem identificado como líder de uma organização criminosa, Jefferson Juvência Campo, vulgo ‘Nego Jefferson’, ele já era conhecido da polícia, estava foragido do Sistema Prisional, ele estava cumprindo pena era acusado de cometer atentados, sendo homicídios tentados e consumados contra agentes de segurança pública no Estado, sendo investigado ainda na operação Medusa.  Ele respondia a mais de dez processos criminais, entre roubo e tráfico de entorpecentes, por exemplo. Um outro integrante usava, inclusive, um crachá falsificado da unidade hospitalar.

De acordo com as investigações, a quadrilha planejava o assalto para captar recursos para o cometimento de novos crimes, como explica o delegado-geral, Walter Resende. “É uma quadrilha articulada que atua tanto na questão de homicídios, como também de assaltos. Certamente é uma grande baixa para o grupo criminoso. Eles precisam de dinheiro para financiar suas ações criminosas e esse assalto de hoje pelo o que se tem conhecimento, pretendiam roubar de R$800 mil a R$ 1 milhão, o que serviria para que eles pudessem incrementar suas ações e comprar armas para executar outros crimes aqui no Estado. Junto ao material que foi apreendido, como carros, por exemplo, aprendemos aparelhos celulares que vão ser importantes na nossa investigação”, informou.

             Imagem/Jefferson Juvência Campo

Com informações de Roma News

VEJA ISSO TAMBÉM