Concurso “Minha obra na capa do caderno” apresenta os vencedores

0
Três crianças foram selecionadas num universo de milhares de estudantes da rede municipal de Parauapebas, que se debruçaram sobre desenhos e poesias

“Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo. E com cinco ou seis retas é fácil fazer um castelo. Corro o lápis em torno da mão e me dou uma luva. E se faço chover com dois riscos tenho um guarda-chuva”. A letra da música “Aquarela”, do compositor Toquinho, retrata com perfeição as experiências que as crianças da rede pública de ensino vivenciaram nos dois últimos meses, enquanto produziam pinturas, desenhos e poesias com a mente voltada para o futuro.

Os mais de 40 mil alunos da rede municipal de ensino de Parauapebas tiveram a oportunidade de mostrar todo seu talento artístico e cultural por meio de participação no concurso “Minha Obra na Capa do Caderno”, com o tema “Projeto de vida: qual é o nosso destino?”, de iniciativa da Secretaria Municipal de Educação (Semed).

Os vencedores da edição deste ano foram: Sara Emanuely Pimentel Trindade, 5 anos, aluna do Infantil V, da Escola Maria Salete Ribeiro Moreno, categoria educação infantil (desenho); Gabrielle Silva Santos, 10 anos, aluna do 5º ano, Escola Terezinha de Jesus, categoria Fundamental I (desenho/frase); e João Paulo Pestana Silva, 11 anos, aluno do 6º ano, Escola João Prudêncio de Brito, categoria Fundamental II/EJA (poemas).

Para Madalena Carvalho, diretora da Escola Terezinha de Jesus, “é um privilégio” como gestora ter entre seus alunos uma das selecionadas. “Entre 80 escolas, ter uma ganhadora no concurso, na sua escola, nos traz uma alegria imensa e me deixa radiante”, confessou ela.

Gabrielle Silva, uma das ganhadoras, ficou surpresa com a vitória. “Eu fiquei muito feliz porque eu não imaginava que ia conseguir ganhar, mas temos que acreditar nos nossos sonhos. E eu quis mostrar isso no meu desenho”, contou a menina.

O projeto oportunizou experiências significativas que valorizaram os saberes construídos pelos alunos; estimularam a imaginação, a experimentação, os esboços e outros elementos que constituem o processo de criação. E contribuiu para formação cidadã dos estudantes por meio de reflexões e discussões do tema. Nada mais justo que valorizar e divulgar as produções, que serão estampadas na capa dos cadernos que compõem os kits escolares.

O professor Jerd Santiago, da Escola João Prudêncio de Brito, afirmou que foi muito gratificante o desafio de levar este concurso para as crianças, até porque o ano letivo está só começando. “Foi desafiador, mas conseguimos realizar com muita seriedade e conseguimos resultados maravilhosos”, assinalou Santiago.

Texto: Suellen Medeiros / Fotos: Irisvelton Silva  
Assessoria de Comunicação/ Ascom – PMP

Deixe um comentário