Músico de Parauapebas fala como tem enfrentado período de pandemia e decretos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Não tem sido tempos fáceis nessa época de pandemia porem algumas pessoas estão sentindo muito mais prejudicadas que outras, algumas áreas estão sendo muito mais afetadas que outras, e como ficam esses profissionais nesse período de instabilidade do comercio, hora diz para fechar hora diz para reabrir.

Em conversa com interprete Jairo Uéno que ganha a vida tocando e cantando nas noites de Parauapebas a mais de dez anos ele mostrou preocupação pois o cenário hoje não está sendo muito bom devido os vários decretos proibindo festas e shows para evitar aglomerações e prevenir o avanço do COVID-19.

O cantor interprete nos contou que assim que o COVID chegou ao país e as restrições e decretos começaram a entrar em vigor ele e sua família passaram por momentos muito difíceis, ouve muita dificuldade em pagar as contas pois o seu trabalho tinha sido muito afetado, contou ainda que só este ano que o mesmo conseguiu pagar a escola dos filhos que não conseguia desde o ano passado, e agora que pensava que tudo começaria a voltar ao normal vem mais um decreto.

Durante a pandemia minha esposa e eu fizemos um empréstimo através do Banco do Povo e montamos uma loja virtual chamada LAPOH, onde trabalhamos com venda de sapato, bolsa, óculos e outros acessórios femininos, tudo com entrega delivery e em breve teremos nossa loja física.

A minha preocupação maior é que além de mim tem muitos outros colegas que que atuam na mesma área que eu atuo e ainda estão passando por momentos de dificuldade, e não sabem como vão fazer para sair dessa eu pelo menos me reinventei e hoje não dependo só da música para sobreviver, e eles?, “fala Uéno”.

Géssica portácio/ Evan Lopes

VEJA ISSO TAMBÉM