Prosap é executado com os devidos cuidados ambientais

Equipe técnica ambiental acompanha obras de perto. Na fase atual do programa, o cuidado é com os animais que vivem nas áreas de supressão vegetal

Em meio à programação da 25ª Semana do Meio Ambiente, a Prefeitura de Parauapebas reforça a importância do Programa de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem e Recuperação de Igarapés e Margens do Rio Parauapebas (Prosap), uma das maiores obras de saneamento ambiental em execução no Pará.

Desde o início dos serviços de microdrenagem há pouco mais de dois meses, a equipe técnica ambiental tem realizado acompanhamento constante na área do projeto, com o objetivo de assegurar que todos os processos sejam conduzidos em conformidade com as melhores práticas ambientais.

Nesta primeira etapa do programa que envolve supressão vegetal – retirada das árvores – na área das obras do Prosap, biólogos, veterinários e outros profissionais especializados realizam um trabalho cuidadoso para afugentar ou resgatar os animais que vivem nesses locais.

Mais de 400 animais entre aves, lagartos, serpentes, anfíbios e até mamíferos de médio e pequeno portes já foram observados. Destes, mais de 70 foram resgatados, entre grandes lagartos (iguanas) e até uma cobra sucuri com mais de três metros de comprimento.

A empresa Transvias, responsável pela execução das obras, conta com a consultoria e o acompanhamento da Waste Ambiental, especializada em programas ambientais, e que contribuiu nos treinamentos dos trabalhadores diretamente ligados na execução da supressão vegetal, no acompanhamento e monitoramento dos resgastes, bem como na captura e soltura dos animais presentes na área. O serviço segue a legislação ambiental e tem todas as licenças e autorizações pertinentes.

Conforme os biólogos Sidcley Matos, especialista em captura de animais silvestres, e Djalma Macêdo, gestor da Waste, toda a atividade é realizada de forma muito responsável, da fase da supressão vegetal ao resgaste e afugentamento de animais. Sobre algumas espécies que possam buscar abrigo nas casas próximas à obra, que possam estar em locais exóticos ou em vias de trânsito, a recomendação é entrar em contato pelo telefone (94) 99973 – 0476 e solicitar a presença da equipe de resgate.

O aviso, em tom de alerta, é para que os moradores dos imóveis não tentem capturar os animais. “É importante não ter contato direto com os animais, nem tentar capturá-los ou encurralá-los, evitando qualquer acidente e aguardando a equipe, que conta com profissionais especializados e instrumentos adequados para a captura, cuidados e transporte, explica Djalma Macêdo, acrescentando que a soltura dos animais capturados só acontece após avaliação e cuidado da médica veterinária Adna Picanço.

Para acionar a equipe, basta informar o endereço completo “enviando fotografias, quando possível”, orienta Macedo.

Após todas as avaliações, a maioria dos animais é devidamente solta no Parque Natural do Morro dos Ventos ligado à Área de Proteção Ambiental (APA) do Igarapé Ilha do Coco, que fica em frente à prefeitura. Ambas as Unidades de Conservação foram criadas como contrapartida ambiental devido à execução das obras do Prosap.

É nessa região que será construída uma grande lagoa e um parque urbano que oferecerá estruturas de lazer e práticas esportivas no entorno, além de atividades educativas para a sensibilização ambiental.

Ações Ambientais

A subcoordenadora de Ações Ambientais do Prosap, a analista ambiental Alessandra Rosa, esclarece que para chegar até a essa fase os técnicos do programa realizaram estudos de viabilidade para a efetiva implantação do projeto. Os levantamentos e relatórios foram apresentados aos órgãos competentes e obtiveram parecer favorável para execução da obra.

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará (Semas/PA) expediu as devidas licenças ambientais autorizando a supressão vegetal, bem como os demais programas ambientais relacionados ao projeto. “A autorização para a supressão vegetal, que é vinculada à Licença de Instalação (LI) referente ao Prosap, ocorreu em fevereiro deste ano. A licença prevê a supressão de uma área correspondente a 36,84 hectares”, reforça Alessandra.

Dentre as atribuições da Subcoordenadoria de Ações Ambientais do Prosap, estão coordenar a implementação do Sistema de Gestão Ambiental e Social (SGAS) – ferramenta gerencial de fundamental importância para assegurar o alinhamento de todos os projetos às melhores práticas ambientais – e apoiar as demais programações no Plano de Gestão Ambiental e Social (PGAS) do programa.

A recuperação e a conservação do meio ambiente são pilares fundamentais do Prosap. Com o projeto, serão dadas condições melhores ao meio ambiente e à sociedade.

Texto: Jéssica Borges / Contribuiu Djalma Macêdo
Imagens: Acervo Waste Ambiental, Jéssica Borges e Chico Souza (Ascom)

Deixe um comentário