Sejuv alerta para golpe em Parauapebas com uso do ID Jovem

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Em grupos de whatsApp, emissão do benefício é oferecido a R$ 50, o que é estelionato. ID é programa federal e gratuito em todo o País

A Secretaria Municipal da Juventude (Sejuv) alerta a população para um golpe que vem sendo aplicado em Parauapebas com o uso do ID Jovem, que se configura como estelionato.

Nas redes sociais, uma pessoa oferece “viagens para todo o Brasil, sem pagar nada” para quem se cadastrar no ID por uma taxa de R$ 50.

O golpe chegou ao conhecimento da Sejuv nesta terça-feira, 2, e o boletim de ocorrência está sendo providenciado. “Essa pessoa não é servidora pública da Secretaria Municipal da Juventude. E mesmo que fosse jamais poderia fazer qualquer tipo de cobrança porque o ID Jovem é um programa federal, gratuito e protegido por lei”, avisa o secretário da Juventude, Yuri Sobieski.

Criado há seis anos pelo Decreto Federal 8.537/2015, o ID Jovem exige requisitos para a concessão do benefício. O jovem precisa ter entre 15 e 29 anos de idade, ter cadastro atualizado no CadÚnico – o número do NIS é exigido – e ter renda familiar até dois salários mínimos.

Yuri Sobieski esclarece que qualquer jovem, que preencha os requisitos, pode obter o ID, bastando para isso acessar o site idjovem.juventude.gov.br ou baixar o aplicativo no celular. Contudo, esclarece o secretário, “somente a Sejuv pode fiscalizar e garantir os direitos dos jovens, no município, por meio do comitê de fiscalização”.

Entre os direitos oferecidos aos jovens, estão:

  • Passagens interestaduais gratuitas ou de até 50% de desconto (transporte terrestre e ferroviário).
  • Meia entrada em cinemas, shows, teatros e eventos esportivos.

A Sejuv chama atenção da juventude para que denuncie à Polícia toda pessoa que cobrar pelo ID Jovem. Para quem precisa de orientação ou tirar dúvidas sobre o benefício, basta procurar a secretaria, localizada na rua Rio Claro, 202, bairro Beira Rio 2 (próximo à rodoviária).

Texto: Hanny Amoras
Assessoria de Comunicação – Ascom/PMP
VEJA ISSO TAMBÉM