Como identificar perfil de homens agressores disfarçados de bons

Estamos todos acompanhando o caso Dj Ivis que ganhou repercussão e chocou todos os fãs e colegas de profissão, sua ex-mulher Pamella Gomes de Holanda, divulgou as agressões sofridas por ela durante o período em que esteve morando com o Dj, no vídeos podemos ver que ele bate na companheira e chega até mesmo da chutes na mulher com a filha deles no colo.

O Brasil é o 5° país no ranking mundial de Feminicídio, segundo informações do Alto Comissão das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH), o feminicídio é o último estágio de agressões contra mulher. Como identificar um perfil de um possível agressor.

1 CIÚME EXAGERADO

O ciúme de uma forma exagerada e excessivo costuma esconder na verdade uma maneira de tentar controlar a outra pessoa e a desculpa dada na maioria das vezes é de que ‘é amor’.

2 CONTROLE

As poucos em uma relação que tende a se tornar abusiva o controle que costuma iniciar por coisas bobas sempre com a justificativa de que é para ‘proteger você ‘ ou ‘o que os outros podem pensar’.

3- INVASÃO DE PRIVACIDADE

Mesmo estando em um relacionamento é preciso sim que cada um possa ter sua privacidade respeitada pelo outro. Em um relacionamento abusivo, é comum que o abusador não respeite o espaço individual da outra parte. Roubar senhas, mexer no celular, ler e-mails e mensagens, instalar programas de rastreamento. Tudo isso é invasão de privacidade. Ela pode acontecer em segredo, sem que o outro saiba, ou ser aberta, com a justificativa de que “quem ama não tem nada a esconder”. Mas não permitir que o outro tenha um espaço só seu, na verdade, é demonstração de falta de confiança.

4-  AFASTAR A PESSOA DE SUA FAMÍLIA E AMIGOS

Se a pessoa não quer que você conviva com seus familiares e amigos é sempre bom ficar bastante atendo a esse sinal, o objetivo do abusador é te deixar fragilizada, fazendo com que você não tenha ninguém que te ajude futuramente quando você precisar.

5- CHANTEGEM

A manipulação é uma ferramenta central no relacionamento abusivo. Se a parceira não aceita de forma pacífica do que é cobrada, o abusador costuma, então, usar de chantagem para conseguir o que quer. Seja dizendo que vai ficar doente ou vai se matar se a companheira não fizer algo, seja ameaçando terminar o relacionamento. A chave é saber o que mexe com a parceira e usar disso para manipulá-la,

6- DESTRUIÇÃO DA AUTOESTIMA

Se no começo da relação a pessoa era incrível para a outra, aos poucos isso vai mudando. A mudança começam com “críticas construtivas”, que vão se tornando cada vez mais comuns e pesadas. Sem perceber, a vítima vai perdendo a autoestima até o ponto de achar que é alguém tão ruim que nenhuma outra pessoa vai amá-la se essa relação terminar.

  1. INVALIDAÇÃO DE SENTIMENTOS

A parte abusadora da relação vai dizer que aquilo que o outro sente é besteira ou não é nada. “Toda vez que você invalida o sentimento, você condiciona a pessoa a não falar nada e a achar que o que sente é bobagem”, explica Vanessa. Assim, o medo, a dor e a tristeza de estar passando pelo abuso passam a ser enxergados como besteira pela própria vítima, fazendo com que ela permaneça no relacionamento abusivo, mesmo infeliz.

 

  1. FALTA DE DIÁLOGO SOBRE DINHEIRO

Não é fácil conversar sobre dinheiro. Mas a falta de diálogo abre espaço para que uma das partes da relação abuse financeiramente da outra. Por exemplo, se a mulher para de trabalhar para cuidar dos filhos, a dinâmica financeira da família precisa ser combinada antes. Assim, ela vai ter condições de sair da relação se precisar. No relacionamento abusivo, a falta de diálogo é usada para levar o outro à dependência econômica.

 

  1. CONTROLE FINANCEIRO

É comum nas relações abusivas que uma das pessoas controle todo o dinheiro do casal e, por isso, passe a controlar também as atividades da outra. Quando uma tem que pedir dinheiro para tudo, passa a existir espaço para que a outra pessoa negue e, assim, decida o que a companheira pode ou não fazer.

 

  1. USO DO DINHEIRO SEM ACORDO CONJUNTO

Dentro de um relacionamento, a forma como o dinheiro vai ser usado deveria ser decidida em acordo. Os recursos são dos dois? Quem decide quanto gastar ou quanto poupar? São questões respondidas em conjunto. No entanto, nas relações abusivas pode acontecer de uma das pessoas fazer compras ou investimentos com o dinheiro do casal sem consultar o outro. O resultado é que o  outro pode ficar sem recursos e nem saber.

 

  1. PEGAR, ROUBAR OU DESTRUIR ITENS DO OUTRO

Quando a relação abusiva evolui, pode chegar ao ponto da pessoa esconder ou quebrar os pertences da outra como forma de controle. São comuns os casos em que o abusador esconde os documentos da outra pessoa ou quebra objetos pessoais durante  acessos de raiva.

  1. USAR OS FILHOS EM CHANTAGENS

Quando o casal tem filhos, as coisas ficam mais complicadas. No relacionamento abusivo, a pessoa usa os filhos como ferramenta de chantagem. Ao invés de se preocupar com o bem estar das crianças, é comum que o abusador as use como chantagem para conseguir o que quer.

  1. EXIGIR RELAÇÃO SEXUAL

O estupro dentro de relacionamentos não é raro. Se o sexo é forçado, é estupro. E isso nem sempre acontece de forma explícita: não respeitar a vontade da outra pessoa, chantagear ou fazer ameaças para ter uma relação também são formas de abuso.

  1. AMEAÇAS

Quando a relação abusiva já está avançada, ameaças se tornam comuns. Elas podem ser dos mais diferentes tipos: tirar o dinheiro, sumir com os filhos, agressões e até ameaças de morte. “A fala de que ‘cão que late não morde’ é muito perigosa. No caso das relações abusivas, em geral as ameaças são o principal indício de que a violência física vai chegar a acontecer. Elas são sinal de que o agressor está criando coragem”, explica Vanessa.

  1. VIOLÊNCIA FÍSICA

Ela também é gradual. Começa com empurrões ou apertões e vai crescendo com o passar do tempo. Em casos extremos, a violência chega ao ponto do assassinato.

Com informações/ azmina.com

Deixe um comentário