Dia mundial sem tabaco

Essa data foi criada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para alertar os fumantes de todos os riscos que esse hábito pode causar a saúde de quem fuma e quem está por perto, segundo dados do Instituto Nacional do câncer (INCA) no brasil morrem todos os dias 443 pessoas vítimas do tabagismo.

Por anos no mundo esse número chega a uma marca impressionante de 8 milhões de pessoas, mais de 7 milhões dessas mortes resultam do uso direto desse produto, enquanto cerca de 1,2 milhão é o resultado de não-fumantes expostos ao fumo passivo.

O tabaco é uma planta (Nicotiana tabacum) cujas folhas são utilizadas na confecção de diferentes produtos que têm como princípio ativo a nicotina, que causa dependência. Há diversos produtos derivados de tabaco: cigarro, charuto, cachimbo, cigarro de palha, cigarrilha, bidi, tabaco para narguilé, rapé, fumo-de-rolo, dispositivos eletrônicos para fumar e outros. No Brasil, a Resolução da Diretoria Colegiada n.º 46 de 2009, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), proíbe a comercialização, a importação e a propaganda de quaisquer dispositivos eletrônicos para fumar.

 

                                                              Imagem:istoe.com.br

O número de jovens que fazem uso de tabaco tem aumentado e muito nos últimos tempos e isso preocupa bastante, cada vez mais e mais cedo os jovens estão começando a fumar.

 

 

O INCA alerta as doenças que podem ser causadas pelo uso do cigarro, Tuberculose, infecções respiratórias, úlcera gastrintestinal, impotência sexual, infertilidade em mulheres e homens, osteoporose, catarata, entre outras.

O tabaco fumado em qualquer uma de suas formas causa a maior parte de todos os cânceres de pulmão e contribui de forma significativa para acidentes cerebrovasculares e ataques cardíacos mortais.

Não podemos nos deixar enganar. Os produtos de tabaco que não produzem fumaça também estão associados ao fator de risco para o desenvolvimento de câncer de cabeça, pescoço, esôfago e pâncreas, assim como para muitas patologias buco-dentais.

  Géssica Portácio/Da redação
   Imagem:agenciabrasilia.df.gov.br

Deixe um comentário