Microdrenagem e demolição de imóveis mantêm ritmo do Prosap

Apesar das fortes chuvas em Parauapebas, obras seguem no ritmo programado. Apelo é para que as pessoas não circulem nas áreas onde as máquinas trabalham

Na terceira semana de obras do Programa de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem e Recuperação de Igarapés e Margens do Rio Parauapebas (Prosap) já foram realizados cerca de cem metros de redes de microdrenagem principal e 40 metros de redes secundárias na rua Sol Poente, no trecho entre as ruas 19 e Guanabara, no bairro Rio Verde.

Nessa região, as equipes encontraram algumas dificuldades em virtude das fortes chuvas que ocasionaram um aumento no nível do rio Parauapebas e, por consequência, uma alimentação nas escavações de água.

De todo modo, conforme o engenheiro sanitarista e civil do Prosap, Roginaldo Rebouças, o trabalho segue no ritmo programado, com as equipes da empresa Transvias e os técnicos da prefeitura em campo.

Na semana passada, foram feitas demolições de imóveis residenciais que ficavam na área de interferência do programa, a exemplo de unidades nas ruas Santa Catarina, 11 e 15 de Novembro.

“Por conta da movimentação de máquinas nesse trecho (da obra), é importante que as pessoas não circulem por essa área. Ficar atento à sinalização é muito importante para a segurança de todos”, reforça o engenheiro Roginaldo Rebouças.

Em tempo de pandemia do coronavírus, além do uso dos equipamentos de proteção individual, todos os profissionais seguem as medidas de prevenção à Covid-19.

Financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o Prosap é um importante programa que vai incluir Parauapebas no rol das melhores cidades do Brasil em qualidade de vida, considerando toda a infraestrutura de saneamento básico a ser implantada.

Texto: Jéssica Borges / Fotos: José Piedade

Deixe um comentário